Sobre – OPTIMUS – Organização Patrimônio de Instrumentos Musicais para Uso Solidário

Sobre

Somos uma associação legalmente constituída no início de 2020 em Curitiba, que se propõe a facilitar o acesso de estudantes avançados de música ou jovens profissionais no início da carreira a instrumentos musicais que atendam suas necessidades técnicas e artísticas. Também apoiamos a restauração de instrumentos musicais e a pesquisa em Luteria.

 Missão

É missão da OPTIMUS o apoio à cidadania através da atividade musical, a formação profissional e a iniciação profissional de musicistas instrumentais, mediante empréstimo de instrumentos musicais de qualidade.

 Valores

·         Promoção da cultura musical

·         Inclusão social

·         Valorização do trabalho artesanal

·         Preservação da memória

·         Competência profissional

·         Desenvolvimento humano

·         Cidadania

   Motivação

Os instrumentos musicais tiveram no mundo uma notável popularização quando, intensamente no final dos anos 90, passaram a ser importados em grande quantidade produtos originários da China, a preços mais acessíveis. Esse fato permitiu a aquisição de instrumentos para a formação de orquestras infantis e juvenis, com destaque para o Sistema de Orquestras Infantis e Juvenis da Venezuela. No Brasil, surgiram a orquestra de Heliópolis, o movimento Neojibá e outros. Contudo, os produtos, obtidos da fabricação seriada, não apresentam qualidade necessária em termos de precisão e sonoridade para o progresso nos estudos.

Em Curitiba, no ano de 2009 foi criado na UFPR o primeiro curso superior de Luteria no Brasil, e umas três dezenas de luthiers estabelecidos aqui ou em outras cidades brasileiras já têm dado impulso à fabricação e manutenção de instrumentos musicais artesanais.

Além dos instrumentos novos, existe um patrimônio de instrumentos musicais na posse de famílias ou organizações religiosas, e hoje fora de circulação. Esta situação abrange os instrumentos portáteis como violinos ou trompetes, e também os instrumentos maiores e estacionários como pianos e órgãos de tubos. Estes últimos constituem um problema à parte, pois apesar de tradicionais e valiosos, muitas comunidades já não se interessam pela sua manutenção e os deixam expostos à ação do tempo e dos cupins. Existe na OPTIMUS a possibilidade de recebê-los em custódia para restaurá-los e assegurar seu uso para apresentações musicais, assim como em apoio ao estudo e ensaio de organistas e corais.

A OPTIMUS, como associação sem fins lucrativos, tem o objetivo de facilitar, mediante formação de um acervo para empréstimo, o acesso de jovens estudantes e profissionais de música a instrumentos musicais de qualidade suficiente para o seu melhor desempenho.

Antecedentes 

A OPTIMUS tem sua concepção baseada em projetos bem-sucedidos que têm demonstrado a importância da prática musical na promoção da cidadania. No âmbito da música erudita, em Curitiba, tem destaque a Orquestra Juvenil da UFPR e hoje Orquestra Filarmônica da UFPR. Criada em meados do século XX, esta orquestra teve especial papel ao iniciar na música dezenas de pessoas. Algumas vieram a constituir a base da Orquestra Sinfônica do Paraná, da Camerata Antiqua de Curitiba, assim como vários instrumentistas da OSESP e alguns de destaque internacional. No entanto, a maior herança é a comunidade de egressos, hoje atuando em áreas distintas da música, mas que guardam consigo valores especiais. Cidadãos moldados pela música.

Curitiba tem sido, também e não menos, um celeiro de importantes projetos. Fanfarras foram criadas em diversas das escolas municipais, com resultados muito positivos. No jazz, na música popular, e tem destaque o rock’n roll e suas diversas vertentes. Aqui se originaram conjuntos produtores de música autoral que obtiveram destaque internacional.

Numa escala maior, é notável o Sistema de Orquestras Infantis e Juvenis da Venezuela (el Sistema). Criado ainda nos anos 70 como projeto não- governamental, reúne mais de 400 mil crianças em orquestras e corais. Formou músicos profissionais, e um dos mais destacados regentes do mundo. Num paralelo com o caso de Orquestra Juvenil da UFPR, se reconhece que muito mais importante é o efeito na formação cidadã. El Sistema foi contemplado num fundo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para financiamento de ações de saúde. Criticados pelo aparente desvio, os gestores argumentaram com os indicadores sanitários notavelmente superiores das comunidades atendidas pelo Sistema de Orquestras. A sinergia da atividade musical, que também inclui o desempenho escolar, é apresentada no emocionante documentário “Tocar y Luchar”, filmado em 2006 sob direção de um egresso do Sistema.

A atividade musical de crianças e adolescentes os conecta a uma tradição de quase quatro séculos da música de orquestra. Se a música fascina os ouvintes ao primeiro contato, é porque consiste principalmente numa atividade de longo prazo de aprendizagem, prática e uma interação musical e social que envolve disciplina, comedimento e a expressão subjetiva.

Outro aspecto do contexto a destacar é do ensino da Luteria. Por volta de 2005, um projeto de Escola de Luteria foi criado pelo luthier gaúcho Leandro Mombach, que depois de formação no Brasil e na Itália, já estava havia duas décadas em Curitiba, construindo, restaurando e dando manutenção periódica a instrumentos – entre eles, precioso Stradivarius de posse da família do ex-consul da Itália Guido Borgomanero – e principalmente atendendo demandas de manutenção das orquestras aqui existentes. Em 2008, este projeto foi levado ao conhecimento da Reitoria da UFPR, que o incluiu no rol de cursos a serem criados no âmbito do programa REUNI. O curso contou com apoio do MEC para compra de material permanente e contratação de professores. Em março de 2009, o curso recebeu seus primeiros 30 calouros. Somando-se ao tradicional Curso de Luteria da Escola de Música de Tatuí, é em nível superior o primeiro curso do país. A paisagem profissional da Luteria tem se transformado em Curitiba com a diplomação de 90 construtores de instrumentos cordófonos, entre dedilhados acústicos (violões, etc), dedilhados eletrificados (guitarras e baixos) e friccionados (violinos etc.). Isto tem proporcionado uma renovação e construção manual de instrumentos musicais. Têm surgido oficinas de Luteria Curitiba e arredores, como o Atelier São Francisco e a Harpia; egressos ainda têm se estabelecido nos estados de RS, SC, SP, RJ, MG e CE. Um construtor de violinos está radicado em Munique, Alemanha.

Quem é quem:

Diretoria e Conselho Fiscal